Total de visualizações de página

terça-feira, 16 de outubro de 2012

EVENTOS DOS MESES DE OUTUBRO E NOVEMBRO DE 2012

Seguem os eventos, em ordem cronológica, que ocorrerão neste mês de outubro e no mês de novembro, no Rio Grande do Norte.
 
I ENCONTRO DE JOVENS INDÍGENAS DO RIO GRANDE DO NORTE (DIAS 17, 18 e 19 DE OUTUBRO)

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO
 
17/Outubro - quarta

Tarde - Chegada
19:00 - Jantar

18/Outubro – quinta
7:00h – Café da manhã
8:00h - Boas vindas
8:10h - Roda de Apresentação por comunidade
8:30h - Esclarecimentos sobre o processo de organização desse Encontro – Tayse Potiguara, coord. da Microrregional da Apoinme no RN
8:50h – Leitura da Programação e Acordos de Convivência – Rafael, liderança jovem da comunidade Amarelão
9:00h - Mesa Temática: Organização, Participação Social e Autonomia dos Jovens Indígenas do RN
- Importância da participação dos Jovens no Movimento Indígena – Tayse Michelle Campos, coordenadora da Microrregional da Apoinme no RN
- Afirmação da identidade indígena – Luiz Soares, liderança indígena da comunidade Catu, representante titular no Comitê Regional da Coordenação Regional Nordeste II da FUNAI
- Jovens Indígenas do RN – Atuação no Movimento Indígena do Estado – Vandré Arcanjo, jovem indígena do Catu
- Organização social e autonomia - Francinaldo Potiguara/OJIP-PB
- Mulher Indígena no RN – Valda Arcanjo, coordenadora de Mulheres Apoinme no RN
- Estatuto da Criança e do Adolescente – MPF/RN
10:30h – Lanche
10:45h - Debate
12:00 – Almoço
14:00 – Mesa Temática: Políticas Públicas
- Direitos dos Jovens, Políticas de Segurança e Inclusão social – Ádna Lígia, CODEM/SEJUC
- Políticas Públicas para os Jovens – Subsecretário da Juventude/SEJUC-Governo do RN
- Políticas Públicas para os Jovens Indígenas – Representante da COGER/CGPDS-FUNAI/DF
- Educação Indígena: políticas de inclusão no Ensino Superior – Célia, CTL/FUNAI/PB
- PRONAF Jovem – Representante da DFDA/RN
- Saúde: acesso à politicas de prevenção – Secretaria Estadual de Saúde do RN
- Esporte e Lazer – Secretaria Estadual de Esporte e Lazer do RN
16:00h – Lanche
16:15h - Debate
18:00h – Encerramento
18:30h – Jantar
19:00h - Noite Cultural na comunidade Amarelão
19/Outubro – sexta

7h – Café da manhã

8h - Trabalhos em Grupo (com definição das prioridades e estratégias)
Grupo 1 – Educação
Grupo 2 – Saúde Indígena
Grupo 3 – Esporte e Lazer
Grupo 4 – Terra, Território e Etnodesenvolvimento
Grupo 5 – Organização e Participação Social

10h - Apresentação dos resultados dos trabalhos de grupos
11h - Debate
12h – Almoço
13:30h – Encaminhamentos
14h - Leitura e aprovação do documento final
14:20h – Avaliação do Encontro
14:40h – Ritual de encerramento
15h – Lanche e encerramento
 
I FEIRA ANARQUISTA EM NATAL (20/10/2012)
 
 
 
PROGRAMAÇÃO DO EVENTO:
 
- 10 horas: Roda de conversa sobre anarquismo
- 14 horas: Início da feira
- 16 horas: Oficina de confecção artesanal de livros com Marina Knup / SP
- 18 horas: Mostra de filmes e apresentação da banda Tapuia do Ganzá.
 
ADJUNTO DE JUREMA NA MATA SAGRADA DA ALDEIA KATU (03/11/2012)
 
 
- Por volta das 15 horas: Encontro na Aldeia Katu, com os membros do Terreiro Tupinambá
- Caminhada ecológica em direção ao Rio Katu
- Organização do Sagrado Adjunto de Jurema
- Acampamento às margens do Rio Katu
- Retorno: domingo pela manhã.
 
Espero que todos os eventos ocorram bem, com muita paz, amor e tranquilidade.
 
Comentários sobre os encontros indígenas:
 
Fico muito feliz em perceber que os indígenas do Rio Grande do Norte estão cada vez mais organizados e que a cada dia novos parentes encontram forças e coragem para assumir suas identidades (como é o caso dos Tapuy'ya Tapará, de Macaíba; e dos Potiguara da Aldeia Trabanda, de Baía Formosa, praia do Saji - ambas as comunidades localizadas no litoral sul do RN).
 
Acredito que mais importante que a opinião de antropólogos e historiadores sobre o "ser ou não ser indígena" de uma comunidade, é a vivência e a história de cada uma das comunidades - nesse sentido, a autodescoberta e a etnogênese independente talvez sejam mais ricas, culturalmente falando, do que a descoberta e classificação por parte de indivíduos externos ao grupo, que simplesmente consideram as comunidades como "objetos de estudo" e muitas vezes forçam a barra dos caboclos, atribuindo-lhes características que em realidade não lhes pertencem.
 
Infelizmente só terei como participar do evento na Aldeia Katu (sábado, 03 de novembro). Não consegui licença da escola em que trabalho para participar do evento em João Câmara. Mesmo assim, meu pensamento e meu coração estarão com os caboclos, como sempre estiveram.
 
Comentários sobre a Feira Anarquista
 
Eis um evento que deveria ocorrer há tempos, na capital do Rio Grande do Norte e em outros municípios. Uma ocasião em que os indivíduos anarquistas poderão apresentar suas produções artísticas e intelectuais e - o que considero mais importante - um dos poucos momentos de possível confraternização nos quais muitos libertários se encontram.
 
Só uma leve correção: Tapuy'ya do Ganzá é um embolador de côco que, junto com Diego Akanguaçu, de vez em quando se aventura em uns improvisos por aí. Também não consegui licença da escola em que trabalho (sábado dia 20 de outubro, teremos aula de campo em Canguaretama, durante os dois turnos). Por isso, farei o possível para chegar antes da feira ter terminado. Vida de operário...
 
Grande abraço do Tapuy'ya do Ganzá!!! Saúde e Anarquia!!! Que a Jurema Santa e Sagrada encha a todos e todas com Paz, Saúde, Amor e Sabedoria!!!



quarta-feira, 3 de outubro de 2012

BONS E MAUS MESTRES (trecho do livro Sete Recados de um aspirante a catimbozeiro)

Aos irmãos e irmãs que amam a Deus e cultuam a Jurema Sagrada, dedico trecho do livrinho que - com a Graça Divina e a ajuda dos pajés do Astral Superior - irei publicar em 2013. O título do opúsculo é SETE RECADOS de um aspirante a catimbozeiro. Me senti devidamente inspirado em escrever os "recados" entre os dias 12 e 15 de maio. Segue trecho da mensagem intitulada "Bons e Maus Mestres".
 

"Natal, 14/05/2012 - 13:08

Caríssimos(as),

evoluímos nos planos Físico, Astral e Mental. Gradualmente. Tentemos compreender, entretanto, que uma vez em corpo físico, já vivemos simultaneamente nesses três planos.

Quando desencarnamos, vão sendo ampliadas nossas percepções dos mundos mais sutis e nossas memórias de encarnações anteriores aos poucos retornam às nossas mentes. Tornamo-nos bem mais sensíveis, sendo também esses processos graduais.

Na escalada evolutiva, progressivamente nos desembaraçamos do plano grosseiro ao qual nossos espíritos desceram para, mais à frente, libertarmo-nos dos grilhões da matéria do Astral Inferior em direção ao Alto Astral e, finalmente, nos libertarmos dessas formas que mais ou menos limitam nossa capacidade plena de locomoção e percepção - ingressando nos graus do Plano Mental.

Aqui já fica um tanto difícil de explicar aos iniciantes, aos "recém chegados". Basta que saibamos, por hora, que esses níveis de vibração e percepção que caracterizam os planos Físico, Astral e Mental estão interconectados. Compreenda: um homem ou uma mulher, no mundo físico, sente desejos e pensa. Assim, é um ser triplo - formado por corpo, alma e mente. Seu corpo físico é interpenetrado por elementos do Plano Astral, também chamado Mundo de Desejos, e por emanações do Plano Mental.
 
O verdadeiro corpo humano, que fique bem claro, não é uma mera máquina que come e dorme. Se formos mais fundo na Ciência, veremos que na constituição humana há outros "corpos" que se for necessário estudaremos futuramente: assim como infinitas parecem ser as camadas de um átomo, infinitos parecem ser os corpos que compõem a criatura humana, e infinitos parecem ser os degraus da Evolução. Por questões didáticas, por hora, fiquemos no aspecto uno-trino.

Precisamos aprender a nos alimentar corretamente nos três Planos. Comidas naturais e puras, água limpa, fortalecem o corpo, os músculos, o cérebro. Mas são as boas leituras, as meditações, as boas músicas, as boas companhias, o ar puro e tudo o que desperte desejos elevados e bons pensamentos, que alimentam a alma e a mente. Nesse regime, muitas doenças são evitadas.

Quanto mais sóbrio, equilibrado e asseado for o indivíduo, mais [...] sua capacidade interna de sentir e visualizar os mundos espirituais - e a sua consciência terão acesso aos níveis além do Astral e do Mental inferiores.

A vida é uma escola completa. E como é linda esta palavra. VIDA. É nela e através dela que encontramos condições de crescer, de melhorar, quitando débitos obtidos em vidas passadas, neste e em outros mundos.

O homem e a mulher só aproximam-se do Pai à medida que quitam suas dívidas. Nossa ascensão, por isso, depende do serviço que realizamos em acréscimo ou superação de falhas e erros.

Um mal se paga com um bem. Uma lágrima derramada por obra nossa só será paga com um sorriso dado também por obra nossa... ou se derramarmos outras lágrimas equivalentes a dor que outrora fomentamos.

Cheguemos mais próximos dos mestres catimbozeiros. Compreendamos o significado do termo: mestre é quem detém a Ciência, o Conhecimento. A Ciência, por si só e a princípio, é neutra. Uma ciência mal dirigida ou aplicada para o mal inevitavelmente terá por responsável um mal homem, uma má mulher, um mal espírito. Dentro da Lei Evolutiva, aplicações perversas de qualquer ciência equivalem mais à autodestruição do que a destruição. "Só o Bem constrói. O mal por si só se destrói" - é um princípio da Umbanda.

Porém, a Ciência aplicada em direção ao Bem faz com que o mestre cresça indefinidamente, em direção ao Infinito. É assim que um catimbozeiro e até um feiticeiro mediocre, dirigindo seu conhecimento para o Bem, ladeado por suas boas intenções, por mais inocentes que sejam, ao mesmo tempo que quita suas dívida cármicas, cresce espiritualmente, sendo acolhido pelos bons Irmãos e Irmãs de Luz, conquistando espaços nas "salas de aula" do Astral Superior.

A Jurema, com todos os seus Reinos, Cidades e Aldeias, é uma dessas Universidades cujos Tutores, há milênios, contribuem pacientemente com a Evolução da espécie humana.

Aos espíritos que são melhorados, que progridem, na linha da Jurema é dada a possibilidade de trabalhar quando encarnados e quando desencarnados. O método mais comum é a ajuda mútua, na qual "médiuns" encarnados e entidades espirituais crescem trabalhando em conjunto.

O mestre em matéria, ao lidar com Mestres espirituais que tenham mais Ciência que Amor, deve amá-los, orientá-los, sempre emitindo bons pensamentos e bons fluídos, orar por suas almas, por sua elevação espiritual e conversar mentalmente com eles sempre que sentir necessidade - conversar coisas boas e edificantes.

Já os "cientistas" que conscientemente se comprazem em fazer o mal, invocando larvas, almas desorientadas, cadáveres astrais e Mestres persersos membros de escolas retrógradas... esses estão sob observação dos Irmãos mais elevados espiritualmente. Após muito lutar para corrigi-los, seus Guias ou Protetores abandona-os temporariamente à própria sorte, para que aprendam com seus próprios erros. A Justiça Cósmica cobrará, inevitavelmente, até que estejam nos eixos.

Já os Mestres espirituais nos quais o Amor superabunda, esses possuem suas escolas no Mundo Astral. Seus alunos conseguem, conforme as necessidades deles e dos encarnados, licença para atuar no mundo físico em seu Nome, portando seu Brasão, digamos. São os representantes ou os "correios" de grandes Mestres e Mestras."

Salve a Jurema Santa e Sagrada!
Salve a Umbanda Divina!
Que os catimbozeiros de boa vontade e os Mestres e Mestras juremeiros possam te dar ciência, paz, luz, AMOR e SABEDORIA.

(Imagens utilizadas na postagem: Xamã do Alto Rio Negro (AM) fumando charuto - desconheço o fotógrafo e a data; Mestre de Catimbó Anísio José Xavier, em 06/05/1938, Alagoa Nova (PB) - fotografia tirada por Luís Saia, membro da Missão de Pesquisas Folclóricas organizada por Mário de Andrade, na década de 1930).