Total de visualizações de página

terça-feira, 26 de março de 2013

NÃO PODEMOS DEIXAR QUE OS ÍNDIOS DE BAÍA FORMOSA (LITORAL SUL DO RIO GRANDE DO NORTE) PERCAM SUAS TERRAS TRADICIONAIS!

Pessoal, esta é uma mensagem urgente! O Brasil parece estar, definitivamente, interessado em extinguir os poucos índios que ainda existem e resistem à opressão que há mas de 500 anos os escraviza, divide e extermina.

O governo Dilma faz vista grossa a todo o sangue derramado, entretanto, não acho que seria diferente se ao invés de Dilma fosse outra pessoa, outro partido, dominando o Brasil. Quem governa o país, em realidade, são os interesses empresariais de uma minoria.

Cito, de memória, alguns casos recentes e terríveis nos quais nossos índios estão levando a pior: Belo Monte, que já arrasa a vida de índios e caboclos xinguanos, além de destruir o habitat de dezenas de espécimes animais e vegetais; o Santuário dos Pajés, no Distrito Federal - lugar sagrado que vem sendo cobiçado por empresários; os índios Guarany e Kaiowá, vítimas de latifundiários assassinos e missionários protestantes fanáticos; os índios da Aldeia Maracanã - antigo Museu do Índio projetado por Darcy Ribeiro - recentemente foram violentamente desalojados pela polícia, que usou até arma sônica durante a repressão...

O governo brasileiro faz vista grossa; os missionários evangélicos que dizem querer "salvar" os índios, fazem vista grossa; a FUNAI enrola e não se mexe... A JUSTIÇA, que não é totalmente cega, mas é caolha, não se move para defender os nativos oprimidos, embora esteja quase sempre na defesa e dando apoio aos opressores.


A repressão se arma para proteger os interesses empresariais e governamentais; enquanto a sociedade civil, quando se mobiliza para defender nossos índios, é violentamente reprimida, perseguida, processada. E assim caminha o Brasil - eis nossa Ordem e Progresso, o lema de nossa bandeira, transformado em falta de respeito, desordem e destruição.

Aqui no Rio Grande do Norte, um caso semelhante está acontecendo: uma de nossas mas antigas comunidades indígenas - A ALDEIA TRABANDA - localizada na Praia do Sagi, em Baía Formosa, parece estar com os dias contados. Índios e caboclos da etnia Potiguara habitam a região há mais de cem anos, formando atualmente cerca de 50 famílias que sobrevivem majoritariamente da pesca e da agricultura. Seus ancestrais estão enterrados na própria comunidade, em um cemitério que existe lá há décadas.

Incrivelmente, no dia 19 de março deste ano, esses Potiguara que há mais de cem anos vivem no Sagi perderam suas terras para o empresário Waldemir Bezerra de Figueiredo - que pretende construir sobre a aldeia um resort para a Copa 2014, arrasando os índios e sua cultura. A juíza Daniela do Nascimento Cosmo, deu ganho de causa ao especular imobiliário. A FUNAI (que em outra ocasião os convidou para encontros indígenas) sequer os reconheceu como índios - o que facilitou a vitória de Waldemir Bezerra.



Sociedade brasileira, sociedade internacional: um fato como esses não somente é de cortar o coração, mas enche nossos corações de digna revolta! Esses índios não podem perder as terras em que vivem. Suas casas não podem ser destruídas. Seus rios e plantações não devem ser tocados por empresas que pouco se importam com preservar a Natureza ou com a vida de tantas crianças, de tantos idosos, de tantos guerreiros e guerreiras que sofrem o peso avassalador da civilização e do falso progresso. Sobre seus ancestrais não deve ser construído nenhum hotel, muito menos um resort.

Os índios e caboclos do Sagi são os guardiões da praia, do rio e da floresta local. A prefeitura de Baía Formosa, anos atrás, passou a despejar o lixo da zona urbana da cidade na mata nativa que envolve a comunidade - os índios foram à luta e conseguiram evitar que a imundície substituísse a Natureza.

Precisamos nos mobilizar e sermos solidários ao povo do Sagi, antes que seja tarde demais. Façamos uma campanha mundial em defesa dos índios e caboclos do Sagi! Você que está lendo este texto, pode começar assinando a petição do Avaaz, que será entregue à prefeitura municipal de Baía Formosa, a FUNAI e a juíza Daniela do Nascimento Cosmo.

http://www.avaaz.org/po/petition/Os_indios_e_caboclos_Potiguara_de_Baia_Formosa_litoral_sul_do_RN_devem_permanecer_em_suas_terras_tradicionais/?tTOMpdb

Assine e divulgue! Salvemos os índios do Sagi e suas terras tradicionais!!!