Total de visualizações de página

sábado, 22 de dezembro de 2012

BREVE HISTÓRIA DE JACARAÚ - UM POVOADO CABOCLO

Caríssimos(as), segue um breve texto de minha autoria sobre a comunidade de Jacaraú - distrito rural de São Gonçalo do Amarante / RN. Para elaborar esse texto, eu e a professora Eliene (Matemática), da Escola Municipal Joaquim Victor de Holanda (localizada em Uruaçu - também zona rural do citado município) realizamos uma visita a Jacaraú, com alunos da comunidade e de comunidades vizinhas - entrevistando moradores do lugar. O texto foi apresentado na última feira de ciências da escola Joaquim Victor.

"A história do povoado de Jacaraú é quase toda de base oral. Não encontramos, durante nossa pesquisa, qualquer documento oficial escrito sobre a história da citada comunidade rural são gonçalense.

Jacaraú é uma comunidade pequena, localizada na zona rural de São Gonçalo do Amarante, constituída principalmente por agricultores. Localiza-se proximo a outra vila chamada Coqueiros. É uma das comunidades mais antigas da região: os primeiros moradores ocuparam o lugar em meados do século XVII, antes de São Gonçalo do Amarante ser fundada e no mesmo século em que ocorreu o massacre de católicos em Cunhaú e Uruaçu, dirigido pelo alemão Jacó Rabi. Esses primeiros moradores, segundo contam as veneráveis senhoras da comunidade, eram índios (possivelmente indígenas Potiguara do tronco Tupi).


 
O nome "Jacaraú" é termo de origem Tupi: "Iakareý", significando "Rio dos Jacarés". Dos antigos índios que habitaram a região, entretanto, restam apenas um poço - chamado "Poço dos Caboclos" - localizado no lugar em que viveram os nativos, terras hoje pertencentes a família Veríssimo; e um conto sobre a origem da comunidade. Não há data exata para tal origem. Sobreviveu somente a memória do acontecido.

Há muito tempo atrás, havia próximo da comunidade uma grande e bonita lagoa. Um velho, talvez um índio da região, decidiu chamá-la "Jacaraú". A partir daquele momento, quando alguém dizia: "Vamos tomar um banho!" e alguém perguntava onde, a resposta era: "Na lagoa de Jacaraú". E assim o topônimo "pegou".



Dona Maria Cícera Duarte, de 79 anos, vive em Jacaraú desde 1969. Conta que na época de sua chegada, Jacaraú era rua de um só proprietário: desde a fazenda do senhor Veríssimo, Jacaraú era propriedade da latifundiária "Francisca Lôra". Dona Maria Cícera teve oportunidade de conhecer alguns dos mais antigos moradores da região. Eles a contaram que bem antes de sua chegada, em Jacaraú havia uma grande feira.

Mas quando a então jovem Maria Cícera chegava ao povoado, o lugar parecia ser bem mais animado, afinal, nas décadas de 1950 e 1960, frequentemente havia jogo de futebol, festas diversas com apresentações culturais (como Pastoril, Fandango, Marinheiro de Água Doce, Barca, dentre outras); cantadores e emboladores de coco vinham de Natal para se apresentar na comunidade, além de grandes festas juninas e carnavalescas e apresentações dramáticas. Vez em quando vinha também um circo e na capela, "que tinha balancinho e tudo", eram celebradas missas e realizadas festas de caráter cristão.

Em 1972 foi inaugurada em Jacaraú a Escola Municipal Maria Penum - em homenagem a uma professora nascida no povoado. De lá também veio o senador Luís de Barros e outros personagens ilustres.

Tudo isso faz parte de um passado hoje tristemente perdido. Após a morte de Chica Lôra, as atividades culturais cessaram na comunidade. Jacaraú deixou de ser conhecida como "A Terra das Brincadeiras". Com o tempo a capela ruiu para sempre e a igreja Assembléia de Deus, construída a menos de dois anos, ainda não conquistou a simpatia de toda a comunidade.



Para completar, em 1982 houve uma enchente que assolou parte da comunidade. A água derrubou diversas casas de taipa e alguns moradores foram embora auxiliados por uma lancha. Porém, os poucos habitantes que resistiram vêm aos poucos reorganizando suas vidas. Com apoio da prefeitura, novas casas foram construídas e a população segue seu destino.

Dos primeiros habitantes da região, os indígenas, parecem ser poucas as lembranças - mas muitos elementos ancestrais ainda sobrevivem na comunidade. O biotipo de diversos moradores (estatura de pequena a mediana, pele morena, olhos puxados, dentes pequenos) indica a raiz Potiguara; o principal modo de subsistência continua sendo o usufruto da terra; e os aspectos culturais subjetivos de origem indígena também são muito marcantes: um mito que parece ser forte na comunidade, por exemplo, é a Florzinha da Mata - espírito protetor dos animais e da floresta que assobia para indicar sua presença e quando aparece pede fumo. Os cronistas dos séculos XVI e XVII, que conviveram com nossos antigos indígenas, tomaram notas dessas entidades espirituais às quais os velhos pajés ofereciam fumo e para os quais manifestavam-se assobiando.

Há coisas em nossas vidas que, felizmente, o peso da civilização não conseguiu destruir."
 
Grande abraço! Feliz Natal para todos e todas!

sábado, 24 de novembro de 2012

PALESTRA NA OKA DO JUREMÁ

Dia 1° de dezembro, sábado, às 13:00 horas, estaremos realizando uma palestra e uma exposição na Oka do Juremá. O tema da palestra é CULTO À JUREMA NO LITORAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Segue a programação do evento:

Dando início às atividades culturais do "Terreiro do Juremá", realizaremos uma palestra sobre os cultos à Jurema no litoral do Rio Grande do Norte (tema que venho pesquisando a quase oito anos).

Na ocasião ocorrerá uma exposição de objetos utilizados em terreiros de Umbanda e Jurema.

Que o grande Tupã e a Jurema Santa e Sagrada abençoe a todos e todas, com muita Luz, Paz, Saúde, AMOR e ALEGRIA!

Quem puder, trazer um quilo de alimento não parecível ou alguma peça de roupa para doarmos à comunidade do Mangueirão.
 
 
 
 
- PROGRAMAÇÃO DO ENCONTRO -
 

- 13:00 às 13:30: Boas vindas e roda de apresentação;

 - 13:30 às 14:30: Palestra: CULTO À JUREMA NO LITORAL DO RIO GRANDE DO NORTE (histórico da pesquisa; "cartografia" da área pesquisada; significados dos termos "Catimbó" e "Jurema"; aspectos históricos do culto; cultos à Jurema nos dias de hoje);

 - 14:30 às 15:00: Espaço para perguntas e socialização de ideias;
- 15:00 às 15:30: Exposição e venda de livros;

 - 15:30 às 16:30: Ritual de Confraternização e encerramento do evento.
 
 
Índios do Saji (Aldeia Trabanda, Baía Formosa / RN), do Katu dos Eleutérios (Canguaretama / RN) e da Baía da Traição (Paraíba) - Toré na Praia do Saji. Foto de Louise Branco retirada do blog: http://reflexaoindigena.blogspot.com.br/

 

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

VISITA À ALDEIA AMARELÃO (JOÃO CÂMARA / RN); DIA NACIONAL DA UMBANDA EM NATAL / RN...

VISITA À ALDEIA AMARELÃO (JOÃO CÂMARA / RN)
 
Ontem (18/11) visitamos a Aldeia Amarelão. Fomos eu e dois grandes irmãos: o antropólogo Wagner e médico peruano Cristobal. Cristobal pretendia conhecer os parentes Potiguara do Rio Grande do Norte, assim como visitar lugares especiais - sagrados - protegidos pela Mãe Natureza e salvaguardado por alguns índios. Fomos, então, ao Amarelão.
 
Ao chegarmos recebemos a notícia de que uma das mais antigas indígenas da comunidade havia falecido. Dona Celestina Justino, conhecida por Dona Nanuca, passou aos Planos de Luz às 7:00 horas da manhã. Viveu na Terra 106 anos! Segundo Tayse (uma das líderes da Aldeia), dona Nanuca foi mãe de 9 filhos, avó de "mais de 40 netos, mais de 50 bisnetos e 7 tetranetos". Eis um personagem que nem o Amarelão nem os demais indígenas do Rio Grande do Norte deverão esquecer.
 
 
Por volta das 13 horas, iniciamos a caminhada com a professora Tayse Campos. Visitamos a "Pedra das Letras" - um lugar sagrado, com inscrições rupestres pré-históricas. Desde o ano passado, membros da comunidade consultaram órgãos como IPHAN e IBAMA em busca de orientação e apoio para tentar preservar, oficialmente, a região, cercada por árvores sagradas e marcada por pinturas ancestrais. Entretanto, nenhum órgão estatal até hoje se pronunciou.
 
 

Cristobal é médico holístico. Seu tratamento não se resume a combater os sintomas das doenças. Mais que isso, procura identificar e sanar as causas físicas, morais, mentais e espirituais dos males humanos. Sua terapia é ancestral e, por isso, imortal. Os medicamentos que aplica são naturais. Enquanto a medicina "oficial" escraviza os seres humanos (a indústria farmacêutica lucra milhões e milhões deixando o homem dependente de compostos químicos que, em grande parte dos casos, retiram um mal e geram outro), a Medicina Ancestral é superior - visto buscar mais que o fim dos males físicos, mas levar as pessoas a compreenderem suas posições, seus lugares, no Cosmos, despertando-lhes o censo de responsabilidade e Amor para com a Natureza e todos os seres visíveis e invisíveis.
 
COMEMORAÇÃO DO DIA NACIONAL DA UMBANDA EM NATAL E SÃO GONÇALO DO AMARANTE (RN)
 

O dia 15 de novembro foi, neste ano de 2012, oficialmente declarado, pelo governo brasileiro, o Dia Nacional da Umbanda. Em meio a tanta desordem, violência e imoralidade perpetradas pelo Estado, finalmente uma boa notícia! Estamos em uma época complicada, na qual organizações supostamente cristãs (principalmente empresas protestantes travestidas de igrejas) se envolvem na política nacional visando alterar a Constituição, dominar a sociedade brasileira e implantar uma Teocracia no país. Abertamente, os cultos de origem indígena e africana são depreciados e deturpados, tanto via cultos quanto via imprensa gospel escrita e televisionada. Missionários protestantes queimam ocas, tentam coibir os antigos rituais e as sagradas pajelanças, terreiros invadidos e depredados, etc. Em meio a este caos, um dia para celebrar nacionalmente a Umbanda veio em boa hora.
 
 
A UMBANDA, essa religião que nasceu no Brasil oficialmente em 1908; a Umbanda, que teve como primeiro porta-voz o médium Zélio Fernandino de Moraes (nascido em São Gonçalo / RJ, em 10 de abril de 1891 e retornarnado aos Planos de Luz em 03 de outubro de 1975); a Umbanda, uma Tradição que realiza uma verdadeira síntese de outros cultos e religiões originários dos índios brasileiros, de africanos, europeus e orientais (portanto, mais que brasileira, a Umbanda é Universal) - foi comemorada em Natal / RN, na praça Padre João Maria, onde membros de diversos terreiros se reuniram para festejá-la. Em São Gonçalo do Amarante / RN, também nos reunimos na "Oka do Juremá", embora em grupo menor, para festejar a data.
 
Por falar nisso, em 01 de dezembro de 2012 às 13 horas, estarei realizando na citada Oka uma palestra com exposição sobre os cultos à Jurema no litoral do Rio Grande do Norte. Apresentarei aos que participarem do encontro uma síntese de minha pesquisa de quase oito anos contínuos sobre espiritualidade indígena e Catimbó-Jurema em nosso estado. Estarei apresentando, também, alguns instrumentos utilizados nesses cultos e estarei vendendo alguns exemplares do livro "Espiritualidade Indígena e Culto à Jurema no Litoral do Rio Grande do Norte".
 
Grande abraço do Tapuy'ya e até breve! Que Deus todo poderoso e a Jurema Santa e Sagrada te tragam muita Saúde, Paz, Fé e SABEDORIA!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

MAIS RESPEITO AOS GUARANI-KAIOWÁ E AOS DEMAIS ÍNDIOS E CABOCLOS DO BRASIL!

Na sexta passada (dia 02/11) realizamos, na "Oka do Juremá" (Jardim Lola - São Gonçalo do Amarante / RN), uma oficina de Toré. Na ocasião, tivemos a oportunidade de conversar um pouco sobre as principais características dessa dança-ritual dos índios do Nordeste brasileiro, além de ensaiarmos alguns passos e linhas de Toré.
 
 
 
 
Estamos nos preparando para o grande protesto do dia 09/11, em prol de uma vida digna para os índios Guarani-Kaiowá do Mato Grosso do Sul. Há décadas os Guarani-Kaiowá vêm sendo vítimas de perseguições, assassinatos e estupros praticados por latifundiários interessados em suas terras sagradas ancestrais. O governo brasileiro faz vista grossa ao genocídio que está ocorrendo e muitos políticos e artistas que lucram alto explorando terras indígenas fazem campanha contra essa nação indígena. A grande imprensa brasileira, por sua vez, quando noticia algo sobre o caso, manipula informações na tentativa de voltar a atenção pública contra os índios ou contra quem apoia as justas lutas indígenas.
 
Dia 09/11 às 17:00 horas, estaremos na praça cívica do Centro da Cidade, denunciando os criminosos inimigos dos Guarani-Kaiowá e exigindo justiça! Realizaremos, então, um grande Toré - pedindo Força aos Espíritos Ancestrais e à Jurema Sagrada e unificando nossa luta a favor de uma vida digna e de respeito para com os povos indígenas. Segue o cartaz do evento:
 
 
 
No dia seguinte a oficina de Toré (no sábado, 03/10), por volta das 13:00 horas, nos dirigimos à comunidade indígena Catu dos Eleutérios (Canguaretama/Goianinha - RN) para nos confraternizar com os índios Potiguara da Aldeia Katu e com os caboclos do Terreiro Tupinambá. Por volta das 17:00 horas iniciamos uma caminhada pelas trilhas da comunidade e ao chegarmos no meio da mata às margens do Rio Katu, os mestres Manoel Daniel e dona Zélia Maria (responsáveis pelo citado terreiro), abriram a Mesa de Jurema (por volta das 18:30). Começamos o "adjunto" com a invocação dos Mestres e Mestras, seguido de Caboclos e Encantados. Para finalizar, o terreiro puxou a linha das Moças - encerrado com uma homenagem a nosso amado Pai Ogum, ao qual pedimos Força e Proteção. Após um momento de descanso, seguimos com um Toré - saldando a Jurema Sagrada, as Nações Potiguara, Tupinambá e Xukuru e os Mestres, Mestras e Encantados da Jurema. Saravá, Jurema Sagrada!
 
 
 
Pela manhã, após um delicioso banho no Rio Katu, pegamos a trilha de volta à comunidade... Um pouco de ar puro e energias benéficas provenientes de nossa amada Mãe Natureza. Salve o Catu! Salve o povo Potiguara! Viva aos Tapuy'ya Xukuru do Ororubá! Lutemos de mãos dadas com os Guarani-Kaiowá! Somos, todos e todas, índios!!!

 
 
 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

EVENTOS DOS MESES DE OUTUBRO E NOVEMBRO DE 2012

Seguem os eventos, em ordem cronológica, que ocorrerão neste mês de outubro e no mês de novembro, no Rio Grande do Norte.
 
I ENCONTRO DE JOVENS INDÍGENAS DO RIO GRANDE DO NORTE (DIAS 17, 18 e 19 DE OUTUBRO)

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO
 
17/Outubro - quarta

Tarde - Chegada
19:00 - Jantar

18/Outubro – quinta
7:00h – Café da manhã
8:00h - Boas vindas
8:10h - Roda de Apresentação por comunidade
8:30h - Esclarecimentos sobre o processo de organização desse Encontro – Tayse Potiguara, coord. da Microrregional da Apoinme no RN
8:50h – Leitura da Programação e Acordos de Convivência – Rafael, liderança jovem da comunidade Amarelão
9:00h - Mesa Temática: Organização, Participação Social e Autonomia dos Jovens Indígenas do RN
- Importância da participação dos Jovens no Movimento Indígena – Tayse Michelle Campos, coordenadora da Microrregional da Apoinme no RN
- Afirmação da identidade indígena – Luiz Soares, liderança indígena da comunidade Catu, representante titular no Comitê Regional da Coordenação Regional Nordeste II da FUNAI
- Jovens Indígenas do RN – Atuação no Movimento Indígena do Estado – Vandré Arcanjo, jovem indígena do Catu
- Organização social e autonomia - Francinaldo Potiguara/OJIP-PB
- Mulher Indígena no RN – Valda Arcanjo, coordenadora de Mulheres Apoinme no RN
- Estatuto da Criança e do Adolescente – MPF/RN
10:30h – Lanche
10:45h - Debate
12:00 – Almoço
14:00 – Mesa Temática: Políticas Públicas
- Direitos dos Jovens, Políticas de Segurança e Inclusão social – Ádna Lígia, CODEM/SEJUC
- Políticas Públicas para os Jovens – Subsecretário da Juventude/SEJUC-Governo do RN
- Políticas Públicas para os Jovens Indígenas – Representante da COGER/CGPDS-FUNAI/DF
- Educação Indígena: políticas de inclusão no Ensino Superior – Célia, CTL/FUNAI/PB
- PRONAF Jovem – Representante da DFDA/RN
- Saúde: acesso à politicas de prevenção – Secretaria Estadual de Saúde do RN
- Esporte e Lazer – Secretaria Estadual de Esporte e Lazer do RN
16:00h – Lanche
16:15h - Debate
18:00h – Encerramento
18:30h – Jantar
19:00h - Noite Cultural na comunidade Amarelão
19/Outubro – sexta

7h – Café da manhã

8h - Trabalhos em Grupo (com definição das prioridades e estratégias)
Grupo 1 – Educação
Grupo 2 – Saúde Indígena
Grupo 3 – Esporte e Lazer
Grupo 4 – Terra, Território e Etnodesenvolvimento
Grupo 5 – Organização e Participação Social

10h - Apresentação dos resultados dos trabalhos de grupos
11h - Debate
12h – Almoço
13:30h – Encaminhamentos
14h - Leitura e aprovação do documento final
14:20h – Avaliação do Encontro
14:40h – Ritual de encerramento
15h – Lanche e encerramento
 
I FEIRA ANARQUISTA EM NATAL (20/10/2012)
 
 
 
PROGRAMAÇÃO DO EVENTO:
 
- 10 horas: Roda de conversa sobre anarquismo
- 14 horas: Início da feira
- 16 horas: Oficina de confecção artesanal de livros com Marina Knup / SP
- 18 horas: Mostra de filmes e apresentação da banda Tapuia do Ganzá.
 
ADJUNTO DE JUREMA NA MATA SAGRADA DA ALDEIA KATU (03/11/2012)
 
 
- Por volta das 15 horas: Encontro na Aldeia Katu, com os membros do Terreiro Tupinambá
- Caminhada ecológica em direção ao Rio Katu
- Organização do Sagrado Adjunto de Jurema
- Acampamento às margens do Rio Katu
- Retorno: domingo pela manhã.
 
Espero que todos os eventos ocorram bem, com muita paz, amor e tranquilidade.
 
Comentários sobre os encontros indígenas:
 
Fico muito feliz em perceber que os indígenas do Rio Grande do Norte estão cada vez mais organizados e que a cada dia novos parentes encontram forças e coragem para assumir suas identidades (como é o caso dos Tapuy'ya Tapará, de Macaíba; e dos Potiguara da Aldeia Trabanda, de Baía Formosa, praia do Saji - ambas as comunidades localizadas no litoral sul do RN).
 
Acredito que mais importante que a opinião de antropólogos e historiadores sobre o "ser ou não ser indígena" de uma comunidade, é a vivência e a história de cada uma das comunidades - nesse sentido, a autodescoberta e a etnogênese independente talvez sejam mais ricas, culturalmente falando, do que a descoberta e classificação por parte de indivíduos externos ao grupo, que simplesmente consideram as comunidades como "objetos de estudo" e muitas vezes forçam a barra dos caboclos, atribuindo-lhes características que em realidade não lhes pertencem.
 
Infelizmente só terei como participar do evento na Aldeia Katu (sábado, 03 de novembro). Não consegui licença da escola em que trabalho para participar do evento em João Câmara. Mesmo assim, meu pensamento e meu coração estarão com os caboclos, como sempre estiveram.
 
Comentários sobre a Feira Anarquista
 
Eis um evento que deveria ocorrer há tempos, na capital do Rio Grande do Norte e em outros municípios. Uma ocasião em que os indivíduos anarquistas poderão apresentar suas produções artísticas e intelectuais e - o que considero mais importante - um dos poucos momentos de possível confraternização nos quais muitos libertários se encontram.
 
Só uma leve correção: Tapuy'ya do Ganzá é um embolador de côco que, junto com Diego Akanguaçu, de vez em quando se aventura em uns improvisos por aí. Também não consegui licença da escola em que trabalho (sábado dia 20 de outubro, teremos aula de campo em Canguaretama, durante os dois turnos). Por isso, farei o possível para chegar antes da feira ter terminado. Vida de operário...
 
Grande abraço do Tapuy'ya do Ganzá!!! Saúde e Anarquia!!! Que a Jurema Santa e Sagrada encha a todos e todas com Paz, Saúde, Amor e Sabedoria!!!



quarta-feira, 3 de outubro de 2012

BONS E MAUS MESTRES (trecho do livro Sete Recados de um aspirante a catimbozeiro)

Aos irmãos e irmãs que amam a Deus e cultuam a Jurema Sagrada, dedico trecho do livrinho que - com a Graça Divina e a ajuda dos pajés do Astral Superior - irei publicar em 2013. O título do opúsculo é SETE RECADOS de um aspirante a catimbozeiro. Me senti devidamente inspirado em escrever os "recados" entre os dias 12 e 15 de maio. Segue trecho da mensagem intitulada "Bons e Maus Mestres".
 

"Natal, 14/05/2012 - 13:08

Caríssimos(as),

evoluímos nos planos Físico, Astral e Mental. Gradualmente. Tentemos compreender, entretanto, que uma vez em corpo físico, já vivemos simultaneamente nesses três planos.

Quando desencarnamos, vão sendo ampliadas nossas percepções dos mundos mais sutis e nossas memórias de encarnações anteriores aos poucos retornam às nossas mentes. Tornamo-nos bem mais sensíveis, sendo também esses processos graduais.

Na escalada evolutiva, progressivamente nos desembaraçamos do plano grosseiro ao qual nossos espíritos desceram para, mais à frente, libertarmo-nos dos grilhões da matéria do Astral Inferior em direção ao Alto Astral e, finalmente, nos libertarmos dessas formas que mais ou menos limitam nossa capacidade plena de locomoção e percepção - ingressando nos graus do Plano Mental.

Aqui já fica um tanto difícil de explicar aos iniciantes, aos "recém chegados". Basta que saibamos, por hora, que esses níveis de vibração e percepção que caracterizam os planos Físico, Astral e Mental estão interconectados. Compreenda: um homem ou uma mulher, no mundo físico, sente desejos e pensa. Assim, é um ser triplo - formado por corpo, alma e mente. Seu corpo físico é interpenetrado por elementos do Plano Astral, também chamado Mundo de Desejos, e por emanações do Plano Mental.
 
O verdadeiro corpo humano, que fique bem claro, não é uma mera máquina que come e dorme. Se formos mais fundo na Ciência, veremos que na constituição humana há outros "corpos" que se for necessário estudaremos futuramente: assim como infinitas parecem ser as camadas de um átomo, infinitos parecem ser os corpos que compõem a criatura humana, e infinitos parecem ser os degraus da Evolução. Por questões didáticas, por hora, fiquemos no aspecto uno-trino.

Precisamos aprender a nos alimentar corretamente nos três Planos. Comidas naturais e puras, água limpa, fortalecem o corpo, os músculos, o cérebro. Mas são as boas leituras, as meditações, as boas músicas, as boas companhias, o ar puro e tudo o que desperte desejos elevados e bons pensamentos, que alimentam a alma e a mente. Nesse regime, muitas doenças são evitadas.

Quanto mais sóbrio, equilibrado e asseado for o indivíduo, mais [...] sua capacidade interna de sentir e visualizar os mundos espirituais - e a sua consciência terão acesso aos níveis além do Astral e do Mental inferiores.

A vida é uma escola completa. E como é linda esta palavra. VIDA. É nela e através dela que encontramos condições de crescer, de melhorar, quitando débitos obtidos em vidas passadas, neste e em outros mundos.

O homem e a mulher só aproximam-se do Pai à medida que quitam suas dívidas. Nossa ascensão, por isso, depende do serviço que realizamos em acréscimo ou superação de falhas e erros.

Um mal se paga com um bem. Uma lágrima derramada por obra nossa só será paga com um sorriso dado também por obra nossa... ou se derramarmos outras lágrimas equivalentes a dor que outrora fomentamos.

Cheguemos mais próximos dos mestres catimbozeiros. Compreendamos o significado do termo: mestre é quem detém a Ciência, o Conhecimento. A Ciência, por si só e a princípio, é neutra. Uma ciência mal dirigida ou aplicada para o mal inevitavelmente terá por responsável um mal homem, uma má mulher, um mal espírito. Dentro da Lei Evolutiva, aplicações perversas de qualquer ciência equivalem mais à autodestruição do que a destruição. "Só o Bem constrói. O mal por si só se destrói" - é um princípio da Umbanda.

Porém, a Ciência aplicada em direção ao Bem faz com que o mestre cresça indefinidamente, em direção ao Infinito. É assim que um catimbozeiro e até um feiticeiro mediocre, dirigindo seu conhecimento para o Bem, ladeado por suas boas intenções, por mais inocentes que sejam, ao mesmo tempo que quita suas dívida cármicas, cresce espiritualmente, sendo acolhido pelos bons Irmãos e Irmãs de Luz, conquistando espaços nas "salas de aula" do Astral Superior.

A Jurema, com todos os seus Reinos, Cidades e Aldeias, é uma dessas Universidades cujos Tutores, há milênios, contribuem pacientemente com a Evolução da espécie humana.

Aos espíritos que são melhorados, que progridem, na linha da Jurema é dada a possibilidade de trabalhar quando encarnados e quando desencarnados. O método mais comum é a ajuda mútua, na qual "médiuns" encarnados e entidades espirituais crescem trabalhando em conjunto.

O mestre em matéria, ao lidar com Mestres espirituais que tenham mais Ciência que Amor, deve amá-los, orientá-los, sempre emitindo bons pensamentos e bons fluídos, orar por suas almas, por sua elevação espiritual e conversar mentalmente com eles sempre que sentir necessidade - conversar coisas boas e edificantes.

Já os "cientistas" que conscientemente se comprazem em fazer o mal, invocando larvas, almas desorientadas, cadáveres astrais e Mestres persersos membros de escolas retrógradas... esses estão sob observação dos Irmãos mais elevados espiritualmente. Após muito lutar para corrigi-los, seus Guias ou Protetores abandona-os temporariamente à própria sorte, para que aprendam com seus próprios erros. A Justiça Cósmica cobrará, inevitavelmente, até que estejam nos eixos.

Já os Mestres espirituais nos quais o Amor superabunda, esses possuem suas escolas no Mundo Astral. Seus alunos conseguem, conforme as necessidades deles e dos encarnados, licença para atuar no mundo físico em seu Nome, portando seu Brasão, digamos. São os representantes ou os "correios" de grandes Mestres e Mestras."

Salve a Jurema Santa e Sagrada!
Salve a Umbanda Divina!
Que os catimbozeiros de boa vontade e os Mestres e Mestras juremeiros possam te dar ciência, paz, luz, AMOR e SABEDORIA.

(Imagens utilizadas na postagem: Xamã do Alto Rio Negro (AM) fumando charuto - desconheço o fotógrafo e a data; Mestre de Catimbó Anísio José Xavier, em 06/05/1938, Alagoa Nova (PB) - fotografia tirada por Luís Saia, membro da Missão de Pesquisas Folclóricas organizada por Mário de Andrade, na década de 1930).
 

sábado, 29 de setembro de 2012

BREVE DE NOTÍCIAS DO MÊS DE SETEMBRO

O mês de setembro chegando ao fim... Vejamos alguns informes relativos à Cultura Indígena e Afroameríndia:
 
- Na comunidade de Uruaçu (município de São Gonçalo do Amarante, litoral norte do Rio Grande do Norte), organizamos um grupo de estudos da língua Tupi (o Tupi Antigo, verdadeiro idioma dos índios Potiguara do Nordeste brasileiro). Eu e um número crescente de alunos da escola municipal Joaquim Victor de Holanda, nos reunimos todos os dias para estudar nossa língua ancestral.
 
- O artista plástico Heriberto Valério Bezerril elaborou duas imagens, que serão utilizadas em meus dois livros: o primeiro, que já foi lançado de modo bem artesanal (um pré-lançamento, com poucas edições, voltado à arrecadação de verba e divulgação), e que em dezembro será lançado oficialmente: ESPIRITUALIDADE INDÍGENA E CULTO À JUREMA NO RIO GRANDE DO NORTE; e o segundo, que ainda estou organizando: ANTIGOS ESPÍRITOS POTIGUARA, TARAIRIU E KIRIRI - que será publicado, se assim Deus e a Jurema Sagrada permitirem, no meio de 2013.
 
 
Eis a capa oficial do livro, desenhada por meu grande amigo Heriberto Valério. O texto - fruto de sete anos de pesquisa contínua sobre espiritualidade indígena e Catimbó-Jurema no litoral do Rio Grande do Norte - encontra-se arquivado na Biblioteca Nacional - N° do Registro: 571.530 Livro: 1.091 Folha: 98.
 
- Pretendo publicar também um opúsculo de poucas páginas, que já está concluído, intitulado SETE RECADOS DE UM ASPIRANTE A CATIMBOZEIRO. Esse livrinho, entretanto, é de teor espiritualista, voltado especialmente a umbandistas, cadomblessistas e juremeiros.
 
- A comunidade indígena Katu dos Eleutérios, localizada no litoral sul do Rio Grande do Norte, entre os municípios de Canguaretama e Goianinha, esteve presente em um encontro regional de escoteiros, na praia de Pitangui. Luiz Katu, uma das lideranças da comunidade, discursou sobre a sobrevivência dos legítimos Potiguara e Tapuia no Rio Grande do Norte e, após seus breves esclarecimentos, apresentamos uns pontos de nosso Sagrado Toré.
 
 
Por hora é isso.
Que Deus e a Jurema Sagrada nos cubra de bênçãos! Abraços do Tapuy'ya do Ganzá.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

23 DE SETEMBRO DE 2012: VII KIPUPA DO REI MALUNGUINHO EM PERNAMBUCO




VII Kipupa Malunguinho
Coco na Mata do Catucá
7 Anos Unindo o Povo da Jurema!

Chegamos ao nosso sétimo ano de integração dos juremeiros e juremeiras de todo o Brasil nas matas sagradas de Malunguinho. Este ciclo para nós da Jurema é de muita importância e simbolismo religioso. Sete anos de trabalhos significa um fechamento de um primeiro ciclo de força na fumaça e ciência de nosso guerreiro quilombola Malunguinho. É um ciclo de grande comemoração e que devemos nos orgulhar em poder vivenciar este momento com fé e entrega. Nós que fazemos o Quilombo Cultural Malunguinho, queremos que esta energia de cura, de paz, de afeto, de união, de consciência política, de alegria e de crescimento invada a vida de todas e todos que vinherem somar e participar deste grande encontro que a cada ano só faz crescer e se multiplicar graças à força de nossa Jurema Sagrada e de nossa luta coletiva. Vamos celebrar, a festa será digna desta data. São sete anos Unindo o Povo da Jurema!!

Quem ainda não sabe o que significa Kipupa e sua história, visite este link e tire toda as dúvidas com o texto que preparei especialmente para isso: "O Que Significa o Kipupa Malunguinho?"

Sobô Nirê!

Roteiro e Programação: 

Artistas e Mestras, Mestres convidados: Mestre Galo Preto, Zé de Teté, Grupo Bojo da Macaíba, Grupo Pandeiro do Mestre, Maracatu Rosa Vermelha, Maracatu Obá Onilu, dentre outros artistas do coco pernambucano.

7h. Saídas dos ônibus (Memorial Zumbí- Carmo Recife) e dos terreiros e municípios de Paulista, São Lourenço da Mata, Recife, Goiana etc;

8h. Encontro na Prefeitura de Abreu e Lima dos ônibus e pessoas;

9h. Chegada na mata (local do evento);

9h. e 20min. Abertura Solene com diálogo e palestra sobre Malunguinho (normas do evento);

10h. Entrega do "Prêmio Mourão que não Bambeia" aos homenageados: 

In memorian:
Mãe Marlene de Oxum Ajangurá
Mestra Jardecilha
Pai Brivaldo Alambaê
João Romão

Vivos:
Mãe Terezinha Bulhões
Dona Dora
Mãe Graça de Xangô 

11h. Entrada na mata com rituais de Jurema;

11h. e 30min. Ritual para Malunguinho com Juremeiros e Juremeiras e povo de terreiro (gira, cânticos, louvações e oferendas);

12h. e 20min. Coco na Mata com os mestres e mestras do coco e da Jurema;

18h. Fechamento e retorno do comboio de Malunguinho. 

Como se inscrever?

Local: Loja de Eliane no Mercado de São José
Valor: 10$ (Dez Reais)
Pessoas de outros Estados: Mandar dados (Nome, Instituição e Contato) para: annepenaforte@yahoo.com.br (Produção)

Local do Evento: Matas do Engenho Pitanga II, Área Rural de Abreu e Lima (Catucá).
Saída as 7h da manhã no Memorial Zumbí dos Palmares. Carmo Recife e dos terreiros e localidades de toda cidade.

Contatos e informações:

Anne Cleide - 81. 8473-1828 (Produção)
Alexandre L’Omi L’Odò - 81 8887-1496  (Coordenação)
João Monteiro- 81 9428-4898 (Coordenação)

Vejam um pouco do Kipupa do ano passado:

sábado, 15 de setembro de 2012

EMPRESÁRIOS DO SETURN HUMILHAM POPULAÇÃO NATALENSE

Depois que milhares de pessoas foram às ruas de Natal em gigantescos protestos contra o aumento abusivo nas passagens de ônibus, realizado recentemente pela coligação Micarla de Souza-SETURN; depois que o aumento foi revogado, pela Câmara Municipal de Natal, e as passagens voltaram a custar a exploração de R$ 2,20; o SETURN humilha a população natalense mais uma vez, burlando o direito à gratuidade.
 
 

Os "clientes" que utilizam cartão de passagem, ao entrar em um ônibos do SETURN, tinham o prazo de uma hora para pegar outro transporte com a mesma passagem. Era o chamado "passe livre", (termo que o SETURN e a prefeitura de Natal tentaram cooptar de um autêntico movimento popular, que luta pela livre passagem para estudantes nos coletivos, também chamado PASSE LIVRE).
Após a revogação do aumento de R$ 2,40 (graças às revoltas populares e ao oportunismo dos vereadores da CMN, que aproveitaram a ocasião para FINGIR estarem ao lado de milhares de pessoas e votarem a favor da revogação, beneficiando-se eleitoralmente), os empresários aumentaram novamente a passagem. Como? Cortando as falaciosas integrações. Agora, ida e volta custam R$ 4,40.
 
É pra aceitar calada, Natal? Claro que não!

domingo, 9 de setembro de 2012

PROTESTOS FAZEM PASSAGEM DE ÔNIBUS BAIXAR, EM NATAL / RN

Muito já foi dito nas imprensas alternativas e oficialescas norte-rio-grandenses e brasileira, sobre a revogação do aumento das passagens de ônibus em Natal/RN. Na noite do dia 27 de agosto (quase na calada da noite), a prefeitura de Natal anunciou o aumento das passagens de R$ 2,20 para R$ 2,40. No dia seguinte, muita gente reclamava - e com razão! Afinal, essa é uma tarifa absurda, um roubo, uma prezepada da parte da prefeitura e do SETURN, em detrimento do povo natalense.
 
Não demorou muito para que diversos grupos surgissem para protestar contra o aumento. Organizando-se principalmente por meios virtuais, muita gente se movimentou exigindo a revogação do aumento, fortalecendo um movimento que ficou conhecido como "Revolta do Busão". Na quarta feira, dia 29 de agosto, a Revolta do Busão foi às ruas, em uma caminhada pacífica, recebida com bomdas de efeito moral, balas de borracha e spray de pimenta por parte da PM.
 
Mas o movimento, ao contrário, aumentou. Milhares de pessoas foram às ruas na sexta feira dia 31 de agosto, em um protesto gigante que durou mais de seis horas - talvez tenha sido o maior protesto da história do município - denunciando a politicamente falida prefeita Micarla de Souza, a máfia do SETURN ("sindicato" dos empresários e proprietários das empresas de ônibus) e exigindo a revogação do aumento. Algumas pessoas exigiam o PASSE LIVRE, retomando uma velha bandeira de luta que o SETURN havia tentado cooptar.
 
Nos protestos, ocorriam o ROLETAÇO - prática na qual os ônibus são parados pelos manifestantes e só podem retomar o tráfego após muitos passageiros terem entrado de graça, nas portas dos fundos. Ocorreram também pixações de protesto e alguns poucos populares chegaram a jogar pedras em um ou outro ônibus, o que não foi nada, se compararmos a Revolta do Busão a protestos realizados em outras cidades do Brasil, nos quais ônibus são queimados.
 
 
A opinião da sociedade era diversa. Algumas pessoas apoiando os protestos, revoltadas com os abusos cometidos pela prefeitura; outras acomodadas, repetindo de boca escancarada o mesmo programa "Não adianta. Não vai baixar.", aceitaram as chibatadas no espinhaço; e outras ainda, revoltadas com o movimento, chamavam os manifestantes de vagabundos, arruaceiros, vândalos, etc.
 
Acontece que, para o bem de todos e todas, inclusive dos preguiçosos acomodados que não acreditam em mudança e para a economia dos "pobres com alma de rico" que pagariam até R$ 5,00 para ir das Quintas ao Alecrim (correndo o risco de serem assaltados em um ônibus lotado), O AUMENTO DA PASSAGEM FOI REVOGADO. Na quinta feira, dia 06 de setembro, a Câmara Municipal revogou o aumento e a passagem dos ônibus voltou a ser R$ 2,20. Até quando? Creio que até depois das eleições...
 
Após quatro consideráveis protestos da Revolta do Busão, contrariando a prefeitura e os parasitas do SETURN, a passagem voltou a ser R$ 2,20.
 
Valeu a pena protestar, rapazeada. Calamos a boca dos escravos acomodados e aplicamos em nossas veias uma dose de ânimo, que com certeza reverterá em maiores esperanças de mudança e em novos movimentos contra muita coisa que está errada nesta cidade, neste país, neste mundo. Fiquemos, porém, de olhos bem abertos: em época de eleição, os vereadores jamais iriam querer "sair mal na fita". Vereadores - essa outra casta de parasitas - geralmente fingem estar do lado do povo. De modo que não fiquemos surpresos, caso logo após a farsa das eleições a passagem aumentar para R$ 2,50.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

PRIMEIRA NOITE DE PROTESTOS CONTRA O AUMENTO DA PASSAGEM DOS ÔNIBUS: EMPRESÁRIOS E PREFEITURA ATERRORIZAM A SOCIEDADE COM VIOLÊNCIA GRATUITA

É verdade que a prefeita Micarla de Souza havia garantido que este ano não autorizaria nenhum aumento na passagem dos ônibus em Natal. Mas entre o povo e o "sindicato" dos empresários - SETURN - a prefeita preferiu, obviamente, o lado dos mais ricos, o lado dos que sobrevivem esmagando e sugando o sangue de milhares de trabalhadores e estudantes. Prefeitura de Natal e SETURN fecharam o circo: o aumento foi anunciado segunda feira de noite e na terça muita gente desceu do ônibus porque não tinha 20 centavos a mais, para engrossar o caldo dos capitalistas.
 
"De grão em grão a galinha enche o papo", diz um velho ditado...

O SETURN está dando mostras de que não está para brincadeiras! No dia do protesto, tentou mostrar aos estudantes quem realmente estava mandando: os parasitas recolheram os ônibus "circular" da UFRN, em clara retaliação aos participantes do movimento. Isso, obviamente, não deteve ninguém e a manifestação teve início por volta das 17:30, na parada do "secular", localizada ao lado do shopping Via Direta.
 
Os participantes do protesto contra o aumento ilegal das passagens (entre 600 e 800 pessoas) seguiram pela avenida Salgado Filho em direção ao shopping Midway Mall, mas, em frente à faculdade de odontologia (UFRN) a polícia militar deu asas à violência: bombas de gás lacrimogêneo e tiros de borracha, em defesa dos que assaltam o povo. "Polícia é pra ladrão, pra estudante não!", gritavam alguns estudantes. Mas não adiantou nada. "Missão dada é missão cumprida" - SETURN e prefeitura de Natal estão dando as cartas, mais uma vez. A polícia afirma que os manifestantes estavam com coquetel molotov - mas nós não vimos nenhum e nenhum dos entrevistados viu coisa semelhante. Uma jovem, porém, levou bala de borracha no rosto, segundo um dos manifestantes, e está hospitalizada. Ficou na rua desmaiada e a população local a ajudou. Outros estudantes e trabalhadores agonizaram com o gás lacrimogêneo e um fio de eletricidade foi rompido.
 
Vejam que coisa intrigante: os empresários e a prefeitura de Natal estão acima da lei. Impõem seus aumentos absurdos sem consultar a população e ainda somos obrigados a aceitar. Quem não aceitar, apanha! Toma bomba, tiro de borracha e quiçá eletrochoque! E o pior: quem discorda tem que ficar calado? Não há direito de expressar opiniões divergentes? Não podemos usar vias públicas para manifestar nosso desagrado com os serviço nojento dos transportes urbanos - serviço que nós sustentamos? ESTAMOS PAGANDO POR NOSSA ESCRAVIDÃO, NATAL! Abram os olhos! Não podemos aceitar esse tipo de imposição horrenda. Já chega! Vamos realizar manifestações bem programadas e descentralizadas - ficar três horas em uma mesma rua é dar a cara à tapa. Manifestações múltiplas, mais dinâmicas e nômades (agrupar, desagrupar e reagrupar em lugares previamente definidos em reuniões realizadas antes dos atos, conforme as necessidades de ação). Nada de sedentarismo. Vamos procurar os meios legais para denunciar esses empresários que assolam a sociedade natalense. Se a imprensa capitalista não nos da espaço, divulguemos nossos textos, fotos e vídeos na imprensa alternativa, impressa e virtual - mas não deixemos de denunciar a arbitrariedade e a violência com a qual estamos sendo recebidos por aqueles que em tese deveriam nos proteger.
 
Futura pastora Micarla de Souza, de cristã você não tem nada. Nem para Pôncio Pilatos você está servindo, já que nem lava as mãos nem deixa o povo julgar. O que está fazendo sentada nesse trono de ilusões? O santo pode ser de ouro, mas as pernas são de barro.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

EMPRESÁRIOS PARASITAS AUMENTAM O VALOR DA PASSAGEM DE ÔNIBUS EM NATAL/RN

Como se já não bastasse a situação caótica em que se encontra a capital do Rio Grande do Norte, com lixo espalhado por todo canto, buracos nas ruas e avenidas, pessoas minguando abandonadas nos hospitais e postos de saúde, professores com benefícios desfalcados...
 
Como se não bastasse o presente período eleitoreiro, no qual todos os parasitas e aspirantes a sangue suga saem das piores latrinas partidárias para dar continuidade à velha e infrutífera farsa chamada ELEIÇÕES - candidatos cheios de mungangas, falsas santidades, oportunismo, mentiras e cretinices, compradores de votos, doidinhos para mamar nas tetas surradas do povão alienado...
 
Como se já não estivesse nas alturas o preço das tarifas dos transportes urbanos... a coligação dos empresários proprietários dos transportes decide, rápida e quase secretamente, dar mais uma paulada no quengo dos cidadãos natalenses: a passagem aumenta de novo! Agora, quem quiser sair das Quintas ao Alecrim, por exemplo, vai pagar R$ 2,40. Valor absurdo para um serviço mal prestado e que não possui qualquer segurança.
 
A prefeita de Natal e seu corpo administrativo, que havia prometido que só haveria um novo aumento nas tarifas de transportes em 2013, novamente demonstra características de impotência e desmoralização. A prefeitura de Natal está publicamente desmoralizada. Suas palavras não valem um centavo furado. Ninguém mais acredita. É tudo mentira.
 
Recentemente os motoristas e cobradores entraram em greve, exigindo melhores condições de trabalho, segurança e um percentual de aumento. Foram quase sufocados pelo sindicato dos empresários (SETURN), com o apoio da segurança pública e da "justiça". Após um mínimo aumento salarial, o álibe dos empresários estava firmado: o aumento da passagem provém da falta de lucro no fim do mês, já que a renda está sendo aplicada no salário dos trabalhadores e na melhoria dos serviços urbanos. Verdade ou mentira? Creio que seja MENTIRA.
 
Diversos são os casos de assaltos a transportes públicos. Diversos são os ônibus em situação decadente (principalmente os das linhas 03 e 28). O trabalhador que necessita chegar cedo no local de trabalho, constantemente pena nas paradas devido à falta de organização no horário dos transportes (a linha 59 e a 63, por exemplo, vacila nos horários. E nós pagamos cada vez mais alto por essa desordem). E isso não é tudo. Você, leitor, leitora, que utiliza dos entupidos transportes urbanos, observe e reflita. É justa a revolta da população consciente. São justos nossos protestos.
 
Amanhã, dia 29/08, está marcado um primeiro protesto ao lado do shopping Via Direta, na parada do Circular ("secular") às 17:00 horas. Com toda certeza muitos estudantes e trabalhadores serão ridicularizados pelas ovelhas que seguem e aceitam caladas todo tipo de imposição empresarial e governamental. Mas não somos imbecis e manifestaremos nossa opinião. Com toda certeza, aparecerão diversos candidatos "de esquerda", distribuindo santinhos e pedindo votos. Mas nossa autogestão, nossa auto organização consciente, descentralizada e apartidária, LIVRE e LÚDICA, não será comprada por ninguém nem engolirá mentiras de ninguém.
 
Nos encontraremos amanhã, para protestar contra todas essas injustiças.
 

terça-feira, 21 de agosto de 2012

NA PANCADA DO GANZÁ! ENCONTRO DE JUREMEIROS E KARDECISTAS NA PARAÍBA e VII KIPUPA DO REI MALUNGUINHO EM PERNAMBUCO

No mesmo dia em que juremeiros e juremeiras de todo o Brasil estarão se reunindo em Pernambuco no VII KIPUPA DO REI MALUNGUINHO; na Paraíba, em Alhandra, ocorrerá o II ENCONTRO DE JUREMEIROS E KARDECISTAS - organizado pelo Guardião da Jurema Sagrada Pai Beto de Xangô. Ambos os encontros ocorrerão no dia 23 de setembro. São eventos muito importantes por diversos motivos: esclarecem diversas pessoas sobre a história e os valores do Culto à Jurema, parte relevante da História e Cultura do Brasil; unem parentes juremeiros e catimbozeiros de diversos estados brasileiros, fortalecendo nossa Fé; proporcionam ecumenismos, pluralismo religioso, respeito entre membros de diversas Tradições religiosas; contribuem com o resgate e a valorização das religiões de matriz afroameríndia e brasileira.

Seguem os cartazes com a programação dos encontros:


VII Kipupa

domingo, 12 de agosto de 2012

BIBLIOGRAFIA BÁSICA PARA O ESTUDO DO CATIMBÓ-JUREMA

Aos pesquisadores interessados em melhor conhecer essa verdadeira religião brasileira de matriz indígena - o Catimbó-Jurema -, segue umas dicas de livros que particularmente considero essenciais:

MELEAGRO de Luís da Câmara Cascudo, é um verdadeiro clássico sobre o assunto. Fruto de praticamente 21 anos de estudos realizados por um dos maiores pesquisadores brasileiros, trata do Catimbó e da Magia Branca no Brasil da primeira metade do século XX.



MÚSICA DE FEITIÇARIA NO BRASIL, de Mário de Andrade, é coletânea de pesquisas realizadas no mesmo período. Trata mais de Catimbó, embora também reúna textos sobre Pajelança. Interessante observar as diversas notas escritas por Mário sobre esses cultos.


Na década de 1930 Mário de Andrade organizou e dirigiu a Missão de Pesquisas Folclóricas, que tinha como objetivos coletar em áudio, vídeo e notas aspectos das diversas manifestações culturais existentes no Nordeste brasileiro, antes que as mesmas deixassem de existir. CATIMBÓ reúne o que a Missão coletou sobre o citado culto, em Paraíba e Pernambuco.


O REINO DOS MESTRES é uma das mais recentes pesquisas publicadas sobre o Culto à Jurema em terreiros de Umbanda. O professor Luiz Assunção realizou suas pesquisas em terreiros do sertão da região Nordeste de nosso país, elaborando, conjuntamente, uma análise historiográfica dos cultos à Jurema - da época dos tapuias e santidades aos catimbós e juremeiros da atualidade.


ENCANTARIA BRASILEIRA é uma coletânea de pesquisas acadêmicas realizadas sobre Jurema, Pajelança, Terecô e outros cultos de matriz afroameríndia, organizada por Prandi. Há, inclusive, um texto clássico de Roger Bastide sobre Catimbó.


Em A FORÇA DO CATIMBÓ Naldo de Oliveira reúne uma série de rezas utilizadas por catimbozeiros do Nordeste brasileiro, inclusive mais de uma forma do Rosário Apressado. Interessante para quem procura analisar aspectos do influxo do catolicismo popular nos cultos de matriz afroameríndia.


O professor Rodrigo de Azeredo Grünewald organizou uma coletânea muito boa de textos sobre o Toré de índios do Nordeste brasileiro - indígenas Truká, Potiguara, Pankararu, Xukuru e outros. É o livro TORÉ: REGIME ENCANTADO DO ÍNDIO DO NORDESTE.


Para quem quiser conhecer um pouco do Catimbó-Jurema e da Pajelança no estado do Rio Grande do Norte, proponho o estudo de minha pesquisa ESPIRITUALIDADE INDÍGENA E CULTO À JUREMA NO RIO GRANDE DO NORTE. Há sete anos estudo esse tema em terreiros e comunidades indígenas do litoral norteriograndense. Uma síntese de meus estudos está no citado livrinho. Mais detalhes sobre como conseguir meu livro, veja neste blog.


 
Espero encontrar muitos irmãos e irmãs juremeiras no maior encontro de catimbozeiros do Brasil, cuja sétima edição ocorrerá em Abreu e Lima, em Pernambuco, no dia 23 de setembro deste ano: será o VII KIPUPA AO REI MALUNGUINHO. Salve a Sagrada Jurema! Muita Luz, Paz, Saúde e AMOR para todos e todas! Abraços!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

MENSAGEM AOS JUREMEIROS E JUREMEIRAS DO BRASIL

Amados Irmãos e Irmãs de Fé, saudações de um caboclo Potiguara!

Caríssimos(as), 500 anos de opressão foram incapazes de dar sumiço aos nossos cultos. Entretanto, deixaram marcas profundas e sensíveis em nossos corpos, em nossas mentes e em nossas almas.
 
 
Os colonizadores, europeus que invadiram as Américas dispostos a se tornarem senhores da Terra e das almas que aqui há milhares de anos viviam, trataram de semear a discórdia e a maldade contra todos e todas que tentavam vislumbrar um pouco de Luz e respirar a menor das menores partículas de Liberdade - realizaram um trabalho tão sujo, tão pesado, tão fraudulento, que até hoje indígenas, africanos, ciganos, judeus, dentre outros que valorizam suas raízes culturais, tradições, história e memória, são vítimas de preconceitos e crimes.
 
 
Os indígenas, primogênitos nestas terras em que vivemos, foram os primeiros a sofrer o mal da escravidão econômica e da deturpação ideológica que arrasou suas culturas, principalmente no que se refere a sua vida espiritual - deturpações impostas violenta e sistematicamente pelos "civilizadores" de além mar. Os legítimos donos deste pedaço do mundo que hoje chamamos Brasil, foram escravizados, guerreados, sedentarizados, envolvidos em mentiras e trapaças que continuam roubam-lhes o direito à VIDA, o direito a espiritualidade e religião, o direito à liberdade. Nossas ocas sagradas ainda são queimadas por missionários cristãos; nossos Espíritos protetores, Encantados e Ancestrais, são tachados de demônios por pessoas maldosas que se auto intitulam "servas de Deus" - de um Deus que em realidade nos ama e sempre nos amou, a ponto de virar homem e morrer para nos salvar do ódio e da maldade.
 
 

Os africanos foram os segundos a sofrerem o mal da civilização. Assim como os índios, foram separados dos seus parentes, vendidos, escravizados, exterminados. Suas crenças também foram e continuam sendo diabolizadas - nossos sagrados Orixás, Encantados Maiores, Grandes Manifestações do Universo e da Mãe Natureza, ainda são classificados de demônios, por pessoas perversas que desconhecem os fundamentos de nossa Fé e a essência de nossa Religião. Nossos Terreiros ainda sofrem atentados e são inúmeros os que abrem a boca maldosamente para nos classificar de "feiticeiros" e "servos do maligno".
 
 
Milhares de anos antes dos europeus invasores pensarem em invadir as Américas, aqui, no hoje geograficamente classificado Nordeste brasileiro, nós já cultuávamos nossos Ancestrais, Encantados e Heróis; já sentíamos as vibrações pulsantes do Grande Espírito Criador através dos frutos que nos dá a Mãe Natureza, dos raios do Grande Avô Sol, da belíssima Avó Lua, da Mãe Terra, do Pai Céu, dos rios e praias, dos animais, dos peixes, das aves, dos insetos e dos nossos diversos parentes seres humanos. Nossos pajés e karaíbas sempre nos ajudaram a entrar em sintonia com as diversas faixas vibratórias do Universo.
 
 
Aqui, muitos anos antes do Filho de Deus manifestar-se no mundo, nós já saudávamos com Amor e Fé um presente divino que nos foi deixado pelo Espírito Santo: a Jurema Sagrada. A Sacralidade desta planta foi confirmada pelo Cristo, quando Ele, ainda menino, foi escondido por sua Mãe Maria Virgem Santíssima em um pé da Mimosa, para não ser aprisionado pelos capangueiros de Heródes; quando Ele, durante sua paixão, orava fervorosamente ao Pai, pedindo-lhe que se fosse possível abreviasse seu martírio. As gotas de sangue suadas pelo Filho de Deus mergulharam a terra do Horto das Oliveiras e confirmou, fortaleceu, ampliou a sacralidade da JUREMA, sua Ciência e sua Força, tocando em suas divinas raízes e infundindo-lhes LUZ, PAZ, SAÚDE e AMOR, para além das irradiações que dela já brotavam.
 
 
Aos negros que aqui chegaram e que aqui sofreram, foi-lhes concedido a consolação e a firmeza da Jurema, por Obra e Graça da Divina Vontade. Logo, negros e índios uniram-se em espaços de paz, socializando conhecimentos e vivências. De mãos dadas abraçaram cristãos sofredores, judeus, ciganos e outras muitas pessoas que aqui chegaram - independente de seus pecados, de seus vícios e demais fraquezas; independente das cores de suas peles e espessura dos cabelos. Isso porque a JUREMA cura. A Jurema, pacientemente, ilumina, une e esclarece, ressuscita e amplia a Fé, dando-nos nova vida, renovando nossas forças e nossas esperanças.

Nascia, em ambiente de mutações e exploração, nosso sagrado Catimbó-Jurema. Os jesuítas e demais missionários não entendiam como, através de fumaças de plantas, nossos pajés e pretos velhos curavam doenças do corpo e da alma de um sem fim de necessitados. Trataram de tachar nossa FUMAÇA de feitiçaria e tão entranhada está essa definição equivocada nas almas da maioria das pessoas que o juremeiro continua sendo depreciado, malvisto até por membros de cultos afro-brasileiros e espíritas. Nosso culto é conhecido em muitos meios como "baixo espiritismo", sendo esse um dos mais suaves adjetivos empregados por pessoas "ilustres" e "conceituadas".

Eu bem sei, amados Irmãos e Irmãs, que em muitos ambientes não é fácil responder a uma simples pergunta, como "Qual é a tua religião?". Muitos umbandistas e candomblessistas sentem o peso dos séculos de perseguição e deturpação quando lhes fazem essa pergunta e muito sem jeito geralmente respondem com um vago "sou espírita" ou um ainda mais vago "sou católico". Ainda mais o juremeiro, o catimbozeiro...
 
 

Amados(as) parentes, a época das perseguições inquisitoriais acabou. Ser discreto não significa anular-se como ser humano. Não podemos permitir que uma nova inquisição, sutil ou abertamente propalada pela mídia, seja levantada. Exijamos nossos direitos, exijamos respeito aos nossos valores ancestrais, aos nossos terreiros, ocas, cabanas e casas consagradas; exijamos reverência à nossa Fé indígena-afro-cristã - matriz cultural e espiritual da atual sociedade brasileira - do mesmo modo que devemos saber respeitar, buscar e reverenciar a convivência harmônica com membros de credos distintos dos nossos. Chegou a hora de desmentir e desmistificar, através da educação e de esclarecimentos diversos, a mentira histórica que pesa sobre os cultos juremeiros: a Jurema Indígena e Cabocla, o Toré e a Pajelança; a Jurema de Mestre, nossas Mesas e Engiras sagradas; a Jurema de Umbanda; a Jurema Africanizada dos Pretos Velhos.

Eduquemo-nos cada vez mais. Conheçamos os princípios, as histórias, os mitos e os fundamentos de nossas crenças e cultos. Respeitemos a Mãe Natureza, suas plantas de Ciência e de Poder e todas as suas diversas manifestações. Esclareçamos nossos filhos e filhas, tanto os biológicos quanto os de fé. Saudemos respeitosa e amavelmente nossos Encantados, nossos Índios, Pajés, Caboclos, Ancestrais e demais espíritos do Universo. Guardemos em nossos corações e mentes o que for de mais sagrado, o que Deus revela e permite ser revelado a cada um de nós e que só nossas almas são capazes de compreender - nossos Mistérios - para que possamos crescer valorosamente como juremeiros e juremeiras, mas principalmente como filhos de um mesmo Planeta e de um mesmo DEUS PAI TODO PODEROSO que é AMOR PURO.


Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!
Amada seja sempre nossa Mãe Natureza!
Salve os Catimbozeiros e Catimbozeiras de boa Vontade!
Viva a Força da fumaça de nossos cachimbos!
Saravá, Jurema Sagrada!
Rômulo Angélico - muito feliz no Catimbó que Deus me deu.