Total de visualizações de página

terça-feira, 26 de abril de 2011

PADRES EXPULSAM DEMÔNIOS

Caríssimos amigos e amigas, antes de abordar diretamente o assunto que intitula este breve texto, gostaria que prestassem atenção nos trechos do Evangelho de Mateus apresentados abaixo. A Bíblia utilizada é uma das melhores bíblias de Estudo - A Bíblia de Jerusalém, da editora Paulus, traduziada por uma equipe de exegetas católicos e protestantes.

"ENTÃO trouxeram-lhe um endemoninhado cego e mudo. E ele o curou, de modo que o mudo podia falar e ver. Toda multidão ficou espantada e pôs-se a dizer: 'Não será este o Filho de Davi?' Mas os fariseus, ouvindo isso, disseram: 'Ele não expulsa demônios, senão por Beelzebu, príncipe dos demônios'.

Conhecendo os seus pensamentos, Jesus lhes disse: 'Todo reino dividido contra si mesmo acaba em ruína e nenhuma cidade ou casa dividida contra si mesma poderá subsistir. Ora, se Satanás expulsa Satanás, está dividido contra si mesmo. Como, então, poderá subsistir seu reinado? Se eu expulso os demônios por Beelzebu, por quem os expulsam vossos adeptos? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. Mas se é pelo Espírito de Deus que eu expulso os demônios, então o Reino de Deus já chegou a vós. [...] Quem não está a meu favor, está contra mim, e quem não ajunta comigo, dispersa. POR ISSO VOS DIGO: TODO PECADO E BLASFÊMIA SERÃO PERDOADOS AOS HOMENS, MAS A BLASFÊMIA CONTRA O ESPÍRITO NÃO SERÁ PERDOADA. SE ALGUÉM DISSER UMA PALAVRA CONTRA O FILHO DO HOMEM, SER-LHE-Á PERDOADO, MAS SE DISSER CONTRA O ESPÍRITO SANTO, NÃO LHE SERÁ PERDOADO, NEM NESTA ERA, NEM NA OUTRA'." (Evangelho de Mateus, capítulo 12, versículos 22 ao 32. Os trechos não estão em negrito ou caixa alta no original).


"EXORCISMO" foi algo que durante muitos anos praticamente esteve desaparecido da Igreja Católica Apostólica Romana. Embora bastante praticado pela Igreja durante a Idade Média (séculos V ao XV) e início da modernidade, com o advento de ciências como a Psicologia e a Parapsicologia, muitos dos distúrbios antes creditados aos demônios foram redirecionados ao campo das patologias da mente.

Na última década do século XX, apenas 3% dos supostos casos de possessão eram considerados pela Igreja, obra do diabo. Os demais casos poderiam ser: histeria individual e coletiva, neuroses fruto de repressões familiares intensas, depressão, indução e autoindução, etc.

Após ter sido avaliado por uma junta médica especializada, caso fosse confirmada a possessão, o exorcismo - depois de autorizado pelo Vaticano - era realizado por uma equipe especial: um padre exorcista e um padre ordinário, um médico, e outros acessores. O possesso não ficava às vistas de curiosos, justamente para evitar constrangimentos e preservar a vida social do indivíduo. Além disso, apenas membros da Igreja autorizados pela hierarquia eclesiástica e familiares da vítima poderiam participar das sessões.


Enquanto a Igreja Romana agia com muita discrição sobre o assunto, na década de 1980 igrejas protestantes pentecostais e neopentecostais realizavam publicamente as "sessões de descarrego" (termo tomado de empréstimo da Umbanda). Quem assistiu a um culto de uma dessas igrejas no final da década de 1980 lembra a quantidade de "possessos" que caiam durante as sessões, supostamente vítimas de demônios. As sessões públicas de exorcismo passaram a atrair centenas de fiéis, a lotar estádios e, mais que isso, a serem veiculadas em rádio e televisão. Os próprios demônios eram entrevistados pelos pastores, assumindo serem responsáveis por problemas que iam de simples dores de cabeça ao fim de relacionamentos e tentativas de assassinato. Nas décadas posteriores, além dos exorcismos públicos passariam a figurar nos púlpitos de muitas igrejas protestantes os milagres financeiros ("Carnê da Multiplicação", "Caneta da Prosperidade", o milagre do "dente de ouro", dentre outros) e as mega sessões de cura. Deixo claro que me refiro a igrejas pentecostais e neopentecostais - as igrejas protestantes TRADICIONAIS como a Luterana e a Anglicana não realizam esse tipo de prática e, talvez por isso, estejam minguando na América Latina.


Hoje, 26/04/2011, ao ir trabalhar no Centro da Cidade, não pude deixar de prestar atenção em um carro de som que anunciava um evento da Igreja Católica Apóstolica Romana. Prestem bem atenção, queridos leitores e leitoras: estavam anunciando uma MISSA EM INTENÇÃO DE CURA, LIBERTAÇÃO E EXORCISMO. Atentem bem para o termo "intenção". Não era uma sessão pública de exorcismo declarada, mas uma missa com a intenção "de". O fato é que nas últimas décadas, com o surgimento de centenas de Igrejas supostamente evangélicas, com o crescimento de organizações como a Igreja Universal do Reino de Deus e Igreja Mundial do Poder de Deus, a Igreja Católica Romana vem perdendo terreno. A solução encontrada pelo Clero Romano para fazer suas "ovelhinhas" retornarem à "casa do pai" é jogar no mesmo tabuleiro dos protestantes: cantores gospel com visual transado, padres galãs, manifestação de dons espirituais (falar em línguas, visões, profecias, etc. veiculadas em canais abertos) e agora o retorno das sessões de exorcismo!


Entretanto, eis a grande pergunta: o que tem a ver este texto que escrevi, com o trecho do Evangelho de Mateus que coloquei no início deste texto? Vejam bem: qual católico praticante nunca ficou chateado com palavras como as seguintes: "Eu nunca vou colocar o pé em uma igreja católica!", "Crente não casa com católico, porque eles são trevas e nós somos luz!", "Quando eu era católico eu fumava, bebia...", "As imagens que os católicos adoram são demônios!", "O papa é o anticristo!" - frases manjadas ditas e repetidas a mil anos por protestantes, que têm como objetivo combater a Igreja liderada por Bento XVI. Ora, com o retorno das práticas públicas de exorcismo, a Igreja Católica dá um golpe forte nas igrejas protestantes - afinal de contas, TEOLOGICAMENTE FALANDO, conforme a Teologia Bíblica, se os padres expulsam demônios é sinal de que expulsam através do Espírito Santo de Deus e que estão ajuntando com Jesus. Assim sendo, Deus está presente na Igreja Romana. E qual será o protestante, apóstolo ou profeta, que terá coragem de blasfemar contra o Espírito Santo de Deus, se esse é um pecado que não será perdoado - CONFORME SALIENTOU O PRÓPRIO JESUS - "nem nesta era, nem na outra"? Será mais saldável para as igrejas ajuntarem em conjunto. Mais ECUMENISMO é algo que a maioria das igrejas "evangélicas" NÃO TOLERAM. Muito menos o Silas Malafaia.

Um comentário:

  1. EVANGÉLICOS AMERICANOS ANUNCIAM FIM DO MUNDO PARA O DIA 21 DE MAIO.
    O grupo cristão evangélico americano Family Radio comprou dezenas de outdoors nas principais cidades dos Estados Unidos e Canadá para anunciar que o Dia do Juízo Final será no dia 21 de maio.
    Desta forma, o Family Radio, um grupo evangélico cristão com sede na Califórnia, lançou uma campanha mundial na qual adverte que só os verdadeiros crentes se salvarão.
    Em seu site, assim como nas ruas, o grupo adverte que “O Dia do Juízo Final é o dia 21 de maio de 2011. A Bíblia garante. Faltam 11 dias”.
    Segundo o grupo, o presidente do Family Radio, Harold Camping, chegou à conclusão que o fim do mundo será em 21 de maio de 2011 após estudar a Bíblia e porque é exatamente 7 mil anos depois do episódio que Noé se salva do Dilúvio Universal segundo, o texto religioso.
    “A Sagrada Bíblia dá mais provas incríveis que no dia 21 de maio de 2011 é exatamente o momento do Juízo Final” acrescenta no site do grupo.
    O Family Radio considera que os não crentes sofrerão um poderoso terremoto que provocará vários meses de caos na Terra.
    Fonte: Folha.com

    ResponderExcluir